Critérios

 

CRITÉRIOS DE DIAGNÓSTICO

O CID-10 (OMS, 1992) descreve então dependência química como um conjunto de fenómenos fisiológicos, comportamentais e cognitivos, no qual o uso de uma substância ou uma classe de substâncias alcança uma prioridade muito maior para um determinado indivíduo que outros comportamentos que antes tinham mais valor. Uma característica descritiva central da dependência química é, assim, o desejo (frequentemente forte, por vezes irresistível) de consumir drogas psicoativas (medicamente prescritas ou não), álcool ou tabaco.

Sucintamente, dos seguintes sintomas três ou mais deverão estar presentes:

  1. Forte desejo ou compulsão para consumir a substância
  2. Dificuldade em controlar o comportamento de consumir em termos do seu início, término ou níveis de consumo
  3. Síndrome de abstinência quando o uso da substância cessa ou é reduzido
  4. Evidência de tolerância, de tal forma que doses crescentes são requeridas para alcançar efeitos originais
  5. Abandono progressivo de prazeres ou interesses alternativos a favor do uso de substâncias psicoativas
  6. Persistência no uso da substância, a despeito da evidência clara de consequências manifestamente nocivas

Também o DSM-IV (APA, 2002) define o diagnóstico «Dependência de Substâncias» como se tratando de um conjunto de sintomas cognitivos, comportamentais e fisiológicos reveladores de que a pessoa continua a utilizar a substância apesar dos problemas evidentes relacionados com o seu consumo. Distinge «Dependência de Substâncias» de «Abuso de Substâncias» e prevê, em diagnóstico diferencial, um alargado espectro de Perturbações pela Utilização de Substâncias e Perturbações Induzidas por Substâncias (doenças secundárias).

Evidencia-se que falamos pois de uma doença significativamente invalidante, que não advirá de outra doença, mas sim poderá provocá-la - como acontece, por exemplo, no caso dos alcoólicos, em que a depressão é uma consequência esperada dos consumos continuados de álcool, mas muitas vezes é confundida como sendo a causa dos consumos.